DIMOB – Da obrigação legal à simplificação do processo com i-Locação

Compartilhe

Como estão as suas declarações – DIMOB?

O ano ainda não havia iniciado e você já estava preocupado com as obrigações referente a DIMOB – Declaração de Informações sobre Atividades Imobiliárias?

Se esta é a sua realidade ou você está iniciando com a locação de imóveis, fizemos para você esse artigo, falando desse assunto que gera dúvidas e preocupações além de muito trabalho, quando não existe um processo automatizado.

O que é a DIMOB e qual sua importância?

Instituída em 2003, a declaração dos impostos imobiliários tem o caráter de fiscalização, sendo utilizada como meio de conferência para a Receita Federal, que a emprega para realizar o cruzamento dos dados informados na DIMOB com os que são informados na Declaração de Imposto de Renda da pessoa física. Nela, devem conter as informações que se refiram a locação ou comercialização de imóveis.

Prazo e forma de entrega?

A DIMOB deve ser entregue até o último dia útil do mês de fevereiro, tendo a competência referente a todas transações ocorridas no ano anterior, através do site da Receita Federal.

Se não for entregue dentro do prazo?

Por ser uma declaração com cunho de fiscalização, caso seja entregue fora do prazo, ou não seja entregue, a punição é multa, das quais os valores são de acordo com a Instrução Normativa 1.115 da Receita Federal.

Quem deve declarar?

Deve declarar a DIMOB, segundo a instrução normativa, toda pessoa jurídica que:

  • Que comercializarem imóveis que houverem construído, loteado ou incorporado para esse fim;
  • Que intermediarem aquisição, alienação ou aluguel de imóveis;
  • Que realizarem sublocação de imóveis;
  • Que se constituírem para construção, administração, locação ou alienação de patrimônio próprio, de seus condôminos ou de seus sócios.

Importante: o recebimento desses valores deve ter sido constatado através da geração de Notas Fiscais.

O que preciso me atentar ao declarar a DIMOB?

  • Prazo: para não esquecer é interessante utilizar alguma forma de aviso/lembrete, seja no seu calendário ou um alerta na sua agenda do celular.
  • Preencher as informações corretamente: os prejuízos de não declarar com coerência vão desde a aplicação de multa, e pior, você pode cair na malha fina da Receita e pode sofrer uma auditoria, entre outras penalidades.

Como simplificar esse processo com a automatização do i-Locação?

O i-Locação é um sistema completo para a gestão fianceira dos contratos de locação. Ele agiliza todos os processos da Imobiliária desde os reajustes até os repasses aos beneficiários. Desta forma, gerar a DIMOB é muito simples. Confira os passos:

  • Envie os Demonstrativos de Aluguel e IRRF aos proprietários que tiveram movimentação do ano anterior
  • Exporte o arquivo de toda a movimentação gerada do ano, informando o CPF do responsável e importe no programa da Receita Federal

Portanto, para evitar possíveis problemas, faça um checklist contendo os itens do que não pode faltar na DIMOB e, em cada cadastro, informe corretamente todas as informações necessárias. Assim você não terá retrabalho de analisar essas informações antes de submeter a declaração ou correr os riscos mencionados acima.

Se o seu controle ainda é feito manualmente, através de planilhas e documentos físicos, a atenção deve ser redobrada, pois uma vez que o preenchimento é manual, não se tem uma ferramenta, como o i-Locação, que permita automatizar a verificação da veracidade dessas informações, sendo descoberta as inconsistências apenas quando a sua declaração ficar retida na Receita.

Vamos automatizar seu processo para facilitar a sua DIMOB em 2020?

Conte com a nossa equipe para lhe orientar e assessorar.

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *